(...)


Acabou o tempo em que escrevi por ti, para ti, sobre ti.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Estás vivo em mim

Voltou a soar a tua voz dentro de mim, aquela que mostrava ser suava e ternurenta. Parecia ser um eco que não me saía da cabeça, querendo assim lembrar-me de todos os momentos, das tuas palavras que demonstravam uma força simples e delicada mas importante para mim. Talvez me tenha iludido pelas tuas modestas apaixonadas palavras e pela forma querida com que me falavas, com que me voltaste a enganar fazendo-me sofrer no fim de tudo.
Continuei esperançosa e tornei-me ingénua, sempre acreditando que irias voltar. Relembro todos os nossos momentos como sendo um sonho a repetir, ansiando pela noite em que regressará...
A saudade começa a possuir-me, começa a querer chamar-me à realidade, realidade essa que desprezo...
O sofrimento volta a preencher os meus dias como se não houvesse amanhã.
Tento pensar em ti cada vez menos para o sofrimento ser menor, mas se te dissesse que não penso em ti
estaria a mentir.
À medida que via os dias passar, via também o fortalecer do meu coração, chegando a pensar que já não
te amava.
Agora sim acredito que nunca me conheceste, já eu não posso dizer o mesmo, conheço-te demasiado bem, amei-te por tudo o que eras e por tudo o que me fizeste sentir quando estávamos juntos: única, sonhadora, dócil como nunca tinha sido antes.
Agora digo que o arrependimento em tudo o que vivi contigo não permanece em mim nem nos meus dias


Daniela Vieira

.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Daniela :p os teus textos estão muito bonitos ,qualquer um deles, estavas inspirada ;)
    Gosto muito de ti :D
    Beijinhos...

    ResponderEliminar
  3. "A saudade começa a possuir-me, começa a querer chamar-me à realidade, realidade essa que desprezo" , por vezes nao queremos ver a realidade que se encontra à nossa frente mas, quando menos esperamos, somos obrigados a abrir bem os olhos e saber e aprender a viver nessa mesma realidade (:

    ResponderEliminar